Autores se demitem da agência de J.K. Rowling após comentários transfóbicos da autora; entenda!

J.K. Rowling, autora de "Harry Potter", durante lançamento de seu livro.

A polêmica envolvendo os comentários transfóbicos de J.K Rowling, autora de “Harry Potter“, parece não ter data para acabar. Agora, quatro autores da mesma agência de J.K. pediram demissão da empresa devido a uma falta de posicionamento a favor da comunidade trans.

Drew Davies, Ugla Stefanía Kristjonudottir Jonsdottir, Fox Fisher e um quarto autor que optou por não se identificar deixaram a agência britânica The Blair Partnership, expressando insatisfação pela empresa não ter emitido uma declaração apoiando os direitos dos transgêneros.

“Essa decisão não foi fácil de ser tomada, e estamos tristes e desapontados por ter chegado a isso”, dizia o comunicado. “Após os comentários públicos de J.K. Rowling, que também assinou com a agência, sobre questões de transgêneros, contatamos a agência com um convite para reafirmar sua posição em relação aos direitos e à igualdade dessa população”.

Os autores revelam que o pedido não foi acatado pela agência, que se mostrou incapaz de se posicionar sobre o assunto. “Após a conversa, sentimentos que eles eram incapazes de se comprometer com qualquer ação que julgávamos apropriada e significativa. A liberdade de expressão só pode ser mantida se as desigualdades estruturais que impedem a igualdade de oportunidades para grupos sub-representados forem desafiadas e alteradas”, continuou a declaração.

Eles reafirmaram o apoio à comunidade, e parceiros na luta contra a homogeneidade da indústria. “Somos solidários com a comunidade LGBTQIA – e aliada – em todas as áreas de publicação que estão trabalhando incrivelmente para defender diversas vozes e experiências para desafiar a homogeneidade da indústria” […] mulheres trans são mulheres, homens trans são homens e identidades não binárias são válidas”, pontuou o comunicado (via Variety).

O grupo disse ainda que fará uma doação coletiva à Shakti Women’s Aid, uma instituição de caridade que apoia as mulheres BAME (Black, Asian and minority etnic) que estão sofrendo ou sofreram abuso doméstico.

A Blair Partnership, por sua vez, disse em resposta que, embora se orgulhem da diversidade das opiniões de seus autores e acreditem na liberdade de expressão para todos, eles não reeducarão a equipe para atender às demandas de alguns clientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *