Adaptação cinematográfica de "Lucky", livro de Alice Sebold, é cancelada após escândalo envolvendo a autora
×
Éder Matheus
26.11.2021
14:28
Adaptação cinematográfica de “Lucky”, livro de Alice Sebold, é cancelada após escândalo envolvendo a autora
Alice Sebold, autora de "Um Olhar do Paraíso".

A adaptação cinematográfica de “Lucky“, livro de memórias de Alice Sebold publicado em 1999, foi oficialmente cancelada, informou a Variety na manhã desta sexta-feira (26). O projeto seria protagonizado por Victoria Pedretti, de “You” e “A Maldição da Residência Hill“.

A notícia é compartilhada poucos dias após Anthony Broadwater, acusado de estupro contra a autora em questão, ter sua condenação revogada por direito no tribunal devido ao que a Associated Press descreve como “sérias falhas na acusação de 1982 e preocupações de que o homem errado foi enviado para a prisão”.

Há quase quatro décadas, Broadwater disse que foi estuprada durante seu primeiro ano na Syracuse University em um túnel perto do campus. Meses depois, ela avistou Anthony Broadwater, um homem negro não relacionado com o ataque, e o denunciou à polícia. No banco das testemunhas no tribunal, ela erroneamente o identificou como seu estuprador e Broadwater foi enviado para a prisão por 16 anos. O ataque à Sebold se tornou o assunto de seu livro de memórias de 1999, intitulado “Lucky“.

O caso foi reaberto quando a adaptação cinematográfica das memórias de Sebold entrou em pré-produção esse ano. O produtor executivo do projeto, Tim Mucciante, ficou cético quanto à culpa de Broadwater quando o primeiro rascunho do roteiro saiu e ele observou que era muito diferente da história relatada no livro. Ele seria também o responsável pelo financiamento do projeto por meio de sua companhia, Red Badge Films.

Após notar a discrepâncias no livro de memórias e no roteiro do filme, Mucciante optou por deixar o projeto, incluindo o corte do financiamento, em junho desse ano e contratagou um investigador particular para examinar as evidências contra Broadwater. O resultado da investigação privada foi então assumido pela equipe jurídica de Broadwater.

Tim Mucciante.

Os advogados de defesa de Broadwater argumentaram que o caso se baseou exclusivamente em um método de análise microscópica do cabelo que agora foi desacreditado e na identificação que Sebold fez de Broadwater no tribunal. Sebold inicialmente identificou um homem diferente como seu agressor em uma formação policial, mas depois apontou Broadwater no tribunal depois que o “promotor disse falsamente à Sra. Sebold que o Sr. Broadwater e o homem ao lado dele eram amigos que propositalmente apareceram juntos na formação para enganá-la”.

“Comecei a ter algumas dúvidas, não sobre a história que Alice contou sobre sua agressão, que foi trágica, mas sobre a segunda parte de seu livro sobre o julgamento, que não deu certo”, revelou o produtor ao The New York Times.

Sebold ainda não comentou sobre a condenação anulada e tem ignorado e-mails e mensagens de jornalistas dos mais variados veículos midiáticos. Em “Lucky”, Sebold retrata sendo violentamente espancada e estuprada por um estranho durante seu primeiro ano na Syracuse University em 1981, e explora como esse trauma moldou o resto de sua vida.


leia também:
    Mais lidas
Sobre nós
O Portal Popeek foi fundado em novembro de 2019 por amantes das culturas pop e geek, visando informar seu público sobre as novidades nos mundos do cinema, televisão, literatura e múisca, prezando sempre pela transparência e agilidade no trabalho.
E-mail:
[email protected]

Redes sociais:
Popeek © 2019 - 2022
Tema por Danielle Cabral