Crítica | "Bela Vingança" é um filme difícil, mas necessário
×
Maurício Junio
06.03.2021
16:50
Crítica | “Bela Vingança” é um filme difícil, mas necessário
Bela Vingança é um filme difícil de digerir, e essa é a expectativa que ele quebra: você jamais esperaria tudo isso, mas terá que engolir.

A expectativa criada em torno de um filme pode ser uma arma a seu favor, da mesma forma que pode ser sua queda. Se um filme lhe apresenta um roteiro prometendo alguma coisa, mas muda completamente seu rumo e te entrega algo completamente diferente, isso interfere na sua opinião com aquela obra. Mesmo que ela seja minimamente boa, mas não era o que você esperava. “Bela Vingança” (Promising Young Woman, 2020) brinca justamente com isso, mas tem uma diferença em comparação com outras obras: ele não te prometeu nada, e se você criou alguma expectativa… sinto muito.

Dirigido e escrito por Emerald Fennell (que, além de diretora e roteirista, é atriz, sendo “The Crown” um dos seus trabalhos mais conhecidos), “Bela Vingança” acompanha Cassandra, uma jovem que viu sua vida virar de cabeça para baixo após sua melhor amiga morrer na universidade. Isso faz com que ela inicie uma investigação e descubra que o trágico evento que causou a morte de sua amiga foi causado por outras pessoas, fazendo com que ela deseje vingança de todos eles.

Uma das principais qualidades do roteiro de Fennell é como ela trabalha a subjetividade de forma simples e acessível. A primeira cena do longa é Cassandra fingindo estar bêbada e se vingando de um homem aleatório num bar. Na cena seguinte, a personagem aparece comendo um sanduiche, com o molho de tomate escorrendo por seu braço – numa clara referência à sangue. Porém, nunca fica claro se Cassandra matou ou não aquele homem. Outra grande qualidade de seu texto é como ele aborda a relação da mulher com a sociedade, que a explora e subestima a todo momento, além das incontáveis dores causadas nela; “Você sabe qual é o pior pesadelo de uma mulher?“, questiona a protagonista em certo momento da trama.

Fennell quer que “Bela Vingança” seja uma experiência muito pessoal. Você pode muito bem interpretar a protagonista como uma assassina e entender suas motivações, ao mesmo tempo que pode achar que ela não chega a matar estes homens. Não importa. É um trabalho de construção de personagem excepcional, intensificado pela direção, que transita entre diferentes gêneros ao decorrer de toda a obra, fazendo com que a desconstrução de Cassandra como mulher seja ainda mais divertida de ser feita e de acompanhar.

No centro disso tudo, Carey Mulligan surge com o trabalho de sua carreira. Talvez, sua atuação seja tão boa por não esperarmos isto dela. Acostumada com papeis mais introspectivos, que exigem menos dela corporalmente, mas mais mentalmente, Mulligan mostra que sabe fazer de tudo. Cassandra é uma mulher atormentada por seu passado, com um objetivo claro, mas isso não limita que ela sinta medo ou receio de algo. Se a direção de Fennell transita bem entre comédia, ação e suspense, Mulligan acompanha muito bem a criadora da obra, com uma personagem ajustada para ela.

Em seus últimos 30 minutos, “Bela Vingança” apela ao inesperado. Lembra do que foi dito no início desta crítica, sobre criar expectativa e se decepcionar? Este não é exatamente o caso. Primeiro que é complicado saber qual a expectativa de quem assiste acerca da obra, pois ela tem abertura para seguir diferentes caminhos. Quando o roteiro opta por ir em direção a certo caminho, o espectador perde sua voz e deixa que a trama lhe leve junto com ela. Para onde? Quem sabe. “Bela Vingança” é um filme difícil de digerir, e essa é a única expectativa que ele quebra: você jamais esperaria tudo que acabou de assistir, mas vai ter que engolir.

Palavra final: "Bela Vingança" é um filme poderoso em sua execução e na sua temática, levando o espectador em uma jornada de rancor e injustiça, ao lado da sempre ótima Carey Mulligan. Um dos grandes filmes da temporada de premiações de 2021.
5.0
Nota do autor:
Ficha técnica
Título original: Promising Young Woman
Dirigido por: Emerald Fennell
Data de lançamento: 18 de março de 2021
País de origem: Estados Unidos, Reino Unido
Duração: 113 minutos
Gênero:
  • Suspense
  • Drama
  • Comédia
  • leia também:
      Mais lidas
    Sobre nós
    O Portal Popeek foi fundado em novembro de 2019 por amantes das culturas pop e geek, visando informar seu público sobre as novidades nos mundos do cinema, televisão, literatura e múisca, prezando sempre pela transparência e agilidade no trabalho.
    E-mail:
    [email protected]

    Redes sociais:
    Popeek © 2019 - 2021
    Tema por Danielle Cabral