DC Comics estabelece Robin como LGBTQ+ em nova HQ
×
João Pedro G. Tonioli
10.08.2021
23:51
DC Comics estabelece Robin como LGBTQ+ em nova HQ
Robin

Kate Kane não é mais o único membro da Batfamília a se aceitar como membro de outra comunidade: a LGBTQ+. Em nova HQ lançada pela DC Comics nessa terça-feira (10), Tim Drake, o Robin, foi convidado por outro garoto para sair e ele aceitou.

A revelação aconteceu na nova saga do morcego encapuzado que a DC vem lançando, o “Batman: Urban Legends“. A saga consiste em uma série de histórias antológicas onde várias equipes criativas compartilham um episódio de várias histórias contínuas estrelando personagens sob o guarda-chuva de Gotham City.

Atualmente, a história de Tim Drake vem sendo contada na HQ “Sum of Our Parts“, escrita por Meghan Fitzmartin e desenhada por Belén Ortega. Nessa história, Tim tenta derrotar um misterioso vilão que sequestrou seu amigo Bernard. Nunca sabendo o que realmente quer, um “momento luminoso” acontece quando Bernard se refere ao jantar interrompido de ambos como um “encontro“. Ao final desta história, Bernard convida Tim para um encontro real desta vez, e o mesmo aceita alegremente.

Imagem

Quando Dave [Wielgosz] (meu editor de Batman: Urban Legends) estendeu a mão para fazer outra história de Tim, fiquei emocionada. Conversamos sobre onde Tim Drake esteve vs onde ele estava na época e chegamos à conclusão de que precisava ser uma história sobre identidade e descoberta. Qual foi o próximo passo de Garoto Maravilha?disse a escritora Meghan ao Polygon.

Meghan contou que passou dias pensando antes de enviar um e-mail de volta, mas tomou coragem e falou sobre sua história de conhecimento próprio de Tim Drake. Mesmo após receber luz verde para a história, ela contou que ficou algum tempo até absorver a ideia.

Kate Kane, a Batwoman, foi o primeiro membro canonicamente homossexual da família e desde então, Gotham tem se tornado mais queer, abrindo espaço para que outros personagens como ela surgissem. Arlequina, que sempre esteve atrelada ao Coringa, teve seu subtexto com Hera Venenosa autorizado em 2010, Mulher-Gato também já teve uma namorada antes do Batman. Além também das detetives Renee Montoya e Maggie Sawyer.

Por outro lado, Tim Drake sempre buscou o seu espaço dentro das histórias do Batman. Enquanto Dick Grayson era o Robin original e Jason Todd era o Robin morto, Tim Drake era apenas o Robin mais novo. Agora, depois de anos, espera-se que o personagem cresça ainda mais com essas novas histórias.

Eu queria prestar homenagem ao fato de que a sexualidade é uma jornada. Para ser claro, seus sentimentos por Stephanie foram/ são 100% reais, assim como seus sentimentos por Bernard. No entanto, Tim ainda está se descobrindo. Não acho que ele tenha uma linguagem para tudo isso… ainda” terminou Meghan ao Polygon.

Em 1940, Robin foi criado com a intenção de ser um substituto do leitor – um personagem no qual os leitores pudessem se projetar, lutando contra o crime sob a asa do enigmático Batman. Houve Robins femininos, Robins negros, Robins ricos, Robins pobres. Por que um leitor queer, especialmente aquele abertamente condenado ao ostracismo pela própria cultura dos quadrinhos por tantas décadas, se sentiria menos digno desse mesmo relacionamento substituto?escreveu a DC em um artigo publicado confirmando a bissexualidade de Tim Drake como canon.


leia também:
    Mais lidas
Sobre nós
O Portal Popeek foi fundado em novembro de 2019 por amantes das culturas pop e geek, visando informar seu público sobre as novidades nos mundos do cinema, televisão, literatura e múisca, prezando sempre pela transparência e agilidade no trabalho.
E-mail:
[email protected]

Redes sociais:
Popeek © 2019 - 2021
Tema por Danielle Cabral